Arquivo da categoria: Feiras de Ciência

Informações sobre feiras de ciências no Brasil e no Mundo.

Jovens apresentam soluções para os problemas do dia a dia

FEBRACE 2015 começa na próxima terça-feira (17/3), São Paulo,

com 332 projetos de estudantes pré-universitários de todo o país.

Eles não têm pós-graduação, tampouco diploma de graduação, mas já são capazes de apresentar soluções para problemas concretos da sociedade. Na 13ª edição da FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), que acontece de 17 a 19 de março, das 14h às 19h, nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP), estarão expostos 332 projetos desenvolvidos por estudantes pré-universitários de 26 estados brasileiros. A entrada é franca e são esperados mais de 10 mil visitantes.

A FEBRACE (www.febrace.org.br) tem o apoio institucional do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Ministério da Educação (MEC), CNPq, CAPES e UNESCO, e o patrocínio da Intel do Brasil, Instituto Votorantim e Petrobras. São instituições e empresas que apostam no incentivo à criatividade, à inovação e ao desenvolvimento de jovens talentos. Confira abaixo os projetos de destaque.

 

Pulseira antisequestro – Atento à quantidade de sequestros na saída das escolas na cidade do Rio de Janeiro, o jovem Adonias Sampaio, do Instituto Nossa Senhora da Glória, criou uma pulseira escolar com sistema de RFID (Radio Frequency Identification). O sistema funciona da seguinte maneira: para pegar a criança na escola, um dos responsáveis deve portar um cartão que é linkado à pulseira. Caso a criança saia da escola desacompanhada do responsável, a pulseira emite um aviso no celular dos pais. O dispositivo está sendo testado numa turma com 20 alunos, entre 8 e 10 anos, da mesma escola onde foi desenvolvido o projeto.

Sensor antiesquecimento – O Brasil registra, todo ano, entre 40 e 50 casos de crianças esquecidas dentro de veículos. Boa parte resulta na morte dos menores. Comovida com a situação, a estudante Camila Godim Pacheco, do Instituto Nossa Senhora da Glória (RJ), inventou um dispositivo que avisa quando há uma criança sozinha no carro. A base são sensores de peso acoplados ao banco do motorista, à cadeirinha da criança e às portas do veículo. “Caso os sensores registrem a saída do motorista e o fechamento das portas, mas não acusem a saída da criança, um aviso sonoro começa a soar no carro e, após 2 minutos, um aviso aparece também no celular dos responsáveis pela criança”, explica o professor Leonardo Oliveira, que orientou o projeto. O dispositivo já foi testado e está sendo usado por cinco pessoas em Macaé (RJ).

Agricultura residencial sustentável – Três alunas do Colégio Casulo, de Rio das Ostras (RJ), criaram um aplicativo para celular com métodos, técnicas e dicas para quem quer plantar em casa. Como cultivar nas janelas, em espaços verticais, e até no teto, quais as melhores formas de irrigação etc. Em um segundo momento, Rebeca Boschoski, Sophia Saraiva e Letícia Bruczenitski criaram produtos para facilitar a vida do agricultor residencial: uma floreira adaptável às janelas, um sistema de irrigação usando garrafas e copos plásticos… “O aplicativo já tem 1.500 acessos até agora, e está na Google Play Store. O projeto já ganhou até patrocínio – da própria escola, de um curso de inglês e de uma loja de tatoos”, comemora o orientador das meninas, Leonardo Veloso Ferreira de Oliveira.

Sistema antiafogamento – Casas com piscina e estabelecimentos como clubes e afins podem se beneficiar muito com o projeto de Thyago Paiva da Cunha, da Escola Técnica Rezende Rammel, da cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de um dispositivo eletrônico que deve ser colocado na piscina quando ela não estiver em uso e que identifica quando algo cai dentro d’água. O aparelho, que funciona à bateria, tem um sensor cuja base é um sistema de microchaves sensíveis ao movimento da lâmina d’água. Quando a água se movimenta, imediatamente soa um alarme, e uma mensagem é enviada para o celular do responsável pela piscina. “O dispositivo detecta tudo o que cai na água, seja um tronco de árvore ou uma criança”, resume o orientador do projeto, Everton Salomão Portella.

Cadeira de roda smart – Pensando na dificuldade que um cadeirante enfrenta ao fazer o supermercado, quando tem de alcançar um produto que está disposto em uma prateleira alta, os alunos Jonathan Jorge Freitas Parmiere e Raphael Gurgel Fontes, que cursam mecatrônica da Escola Técnica Rezende Rammel (RJ), bolaram um sistema eletromecânico que eleva o assento da cadeira de rodas. O sistema é baseado em um macaco elétrico alimentado por uma bateria automotiva (12V/40Ah). Este protótipo pode elevar uma pessoa de até 120 kg e o custo para instalar o sistema de elevação em uma cadeira de rodas é de aproximadamente R$ 800,00 de material. “O princípio é o mesmo de um macaco de carro, e o efeito é parecido com o da cadeira do dentista, que sobe e desce. Basta apertar um botão”, explica o orientador do projeto, Everton Salomão Portella. O melhor é que o sistema pode ser adaptado a qualquer cadeira de rodas.

Etiqueta termo sensível – A estudante Pietra Berticelli Malanski, do terceiro ano do ensino médio do Sesc São José – Grupo Bom Jesus, de Curitiba (PR) desenvolveu uma etiqueta que indica aos consumidores se os produtos congelados e resfriados sofreram processo de descongelamento durante o transporte entre a fábrica e o ponto de venda. Se submetida a uma temperatura maior que a permitida, a etiqueta termossensível coloidal muda sua forma original, indicando, dessa maneira, que o produto foi mantido sob uma temperatura inadequada, o que pode estraga-lo e causar intoxicação alimentar. A etiqueta é feita a base de emulsificante para sorvete, água e liga neutra, e foi testada em dias com diferentes temperaturas, dias quentes, frios e amenos, para comprovar a eficácia do protótipo. Pietra utilizou só produtos comestíveis para não contaminar os alimentos. Na FEBRACE, ela fará simulações para demonstrar o funcionamento da tecnologia, além de um vídeo que mostra o sistema em ação, em condições reais.

Redutor de bactérias – O aluno João Marcos Brandet, do terceiro ano do ensino médio do Colégio Londrinense, de Londrina (PR), desenvolveu um recipiente utilizando barricas – um tipo de embalagem de massa corrida, feita à base de papelão, que tem função antibactericida. Nos testes feitos com frutas (laranja, banana e maçã), ele atestou uma redução de 70% no crescimento de micro-organismos quando comparado com as frutas não armazenadas. No estande da FEBRACE, ele ensinará como fazer a embalagem, que é esterilizada, recoberta com um metal fino galvanizado e forrada com papel alumínio para manter a temperatura e facilitar a limpeza. Dentro da embalagem vai uma porção de cravos da índia, o elemento responsável pela redução do crescimento de micro-organismos. João Marcos está produzindo um vídeo com o passo a passo da produção da embalagem.

Manta térmica automática – Alunos da Escola Técnica de Eletrônica “Francisco Moreira da Costa”, de Santa Rita do Sapucaí (MG), desenvolveram uma manta térmica que mantém a temperatura do corpo em 36o Celsius. O controle é feito por um sensor, que identifica a temperatura do corpo e regula a da manta automaticamente.

Robôs multitarefas – A escola estadual Professora Elza Facca Martins Bonilha, da cidade de Campo Limpo Paulista (SP), levará para a FEBRACE dois protótipos de robôs multitarefas para exibições. Numa delas, os robôs lutam entre si, e na outra se movem por um circuito coletando objetos. O robô Ares é preparado para lutar sumo. Ele foi projetado para localizar o robô oponente e lutar contra ele. Apesar de ser de pequeno porte (20 cm de altura por 25 cm de largura), o robô foi projetado para atuar em operações de alto risco, como localização e resgate de vítimas. O protótipo também pode mapear o ambiente e auxiliar cadeirantes, por exemplo, pegando remédios e outros tipos de objetos pequenos. Os robôs foram completamente projetados e montados pelos alunos e são de baixo custo – cerca de R$ 250,00 – se comparado ao preço de kits de montagem de robôs vendidos comercialmente. Os alunos desenvolveram toda a programação, o layout, as garras, motores, sensores etc.

Outros destaques:     

– Central de controle de estufas agrícolas de baixo custo

– Destilação de águas cinzas, negras e salobras por aquecimento solar utilizando lentes convergentes

– Wiseyes – aplicativo Android para linguagem de libras

– Controlador de velocidade automático para veículos

– Reservatório de madeira tratada para captação de água da chuva

– Biodigestor portátil:

– Análise dos impactos das redes wi-fi na germinação do feijão

– Resíduos do buriti transformados em ração para suínos e carvão ativado

Atendimento à imprensa:

– Entrevistas e outras solicitações: Érika Coradin (erika@academica.jor.br) pelos telefones (11) 5549-1863 / 5081-5237 / 99185-9557 ou com Elena Saggio (elena@lsi.usp.br) e Ana Beatriz Passaretti (anabia.passaretti@gmail.com) pelo telefone (11) 3091-5676.

Atenção: no dia 17/03, das 9 às 12 horas, os jornalistas terão acesso exclusivo à tenda do evento para que possam conduzir suas reportagens com mais calma. Assessores de imprensa estarão à disposição para ajudá-los durante o evento.

1 comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Projetos high tech e sustentáveis são destaque na FEBRACE 2015

Maior mostra de Ciências e Engenharia do Brasil,
será realizada
de 17 a 19 de março, na Poli/USP, em São Paulo.

A 13ª edição da FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), que acontece de 17 a 19 de março, em São Paulo, nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP), apresentará 332 projetos desenvolvidos por 746 estudantes pré-universitários de 26 estados brasileiros. A maioria dos projetos oferece soluções alternativas – muitas vezes inovadoras – para problemas da sociedade.

Como nas edições anteriores, a FEBRACE terá centenas de soluções high tech, como uma cadeira de rodas com comando de voz, robôs multitarefas, luva-guia para deficientes visuais, comedor elétrico para animais domésticos e sistema de detecção de vazamento de gás. “Salta aos olhos, no entanto, a preocupação dos estudantes com questões relacionadas à água e energia; são 39 projetos que propõem soluções para melhor aproveitamento desses recursos naturais”, afirma a coordenadora geral da mostra, Roseli de Deus Lopes.

Na mostra, os trabalhos serão avaliados por pesquisadores e especialistas de diversas áreas do conhecimento. O público visitante também poderá eleger o projeto mais popular, postando seu voto no site da FEBRACE (www.febrace.org.br). Os autores dos melhores trabalhos ganharão troféus, medalhas, bolsas e estágios, num total aproximado 200 prêmios. Também concorrerão a uma das nove vagas para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF), que será realizada em maio, na cidade de Pittsburgh (EUA).

Promovida anualmente pela Escola Politécnica da USP, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI), a FEBRACE é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia. Seu objetivo é despertar nos jovens o interesse pela ciência, estimulando a criatividade, a inovação e o empreendedorismo. Os projetos finalistas desta edição foram selecionados entre mais de 2.100 trabalhos submetidos diretamente pelos estudantes ou indicados por uma das 100 feiras afiliadas.

Serviço:

A mostra pública de projetos da FEBRACE 2015 será realizada de 17 a 19 de março, das 14h às 19h, em uma tenda com 2,2 mil m² instalada no estacionamento da Escola Politécnica da USP (Av. Prof. Luciano Gualberto, nº 3, travessa 3, Cidade Universitária). A entrada é franca. Mais informações: www.febrace.org.br.

 

Atendimento à imprensa:

– Entrevistas e outras solicitações: Érika Coradin (erika@academica.jor.br) pelos telefones (11) 5549-1863 / 5081-5237 / 99185-9557 ou com Elena Saggio (elena@lsi.usp.br) e Ana Beatriz Passaretti (anabia.passaretti@gmail.com) pelo telefone (11) 3091-5676.

Atenção: no dia 17/03, das 9 às 12 horas, os jornalistas terão acesso exclusivo à tenda do evento para que possam conduzir suas reportagens com mais calma. Assessores de imprensa estarão à disposição para ajudá-los durante o evento.

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Jovens cientistas do estado de São Paulo expõem seus projetos entre 3 e 5 de dezembro no Catavento Cultural Educacional

Com o objetivo de incentivar o espírito investigativo, o empreendedorismo e a criatividades de jovens entre 14 e 20 anos, que sejam estudantes de 8ª e 9ª séries do Ensino Fundamental, Ensino Médio ou Ensino Técnico no Estado de São Paulo, o Catavento Cultural e Educacional – museu de ciência e tecnologia da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – recebe, pelo quarto ano consecutivo, a Mostra Paulista de Ciências e Engenharia – MOP, promovida pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis.

Farão parte da mostra 112 projetos distribuídos nas áreas de engenharia, ciências exatas e da terra, humanas, sociais aplicadas, biológicas, da saúde e agrárias. Selecionados entre os mais de 200 inscritos, os projetos são da autoria de alunos de escolas públicas e particulares. Além de boas ideias, os projetos deverão propor soluções inovadoras para problemas da sociedade com base na metodologia científica e de engenharia.

Os seis projetos com maior destaque na MOP 2014 terão vaga garantida na edição de 2015 da FEBRACE – Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, e os três melhores de cada área serão premiados com troféus, medalhas e certificados. Dez estudantes serão selecionados para receber bolsas de Iniciação Científica Jr. concedidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

De acordo com a professora Roseli de Deus Lopes, coordenadora geral da MOP, “além da divulgação e valorização de jovens talentos para ciências e engenharia e suas pesquisas, as feiras e mostras científicas abrem novas oportunidades acadêmicas e profissionais, tanto para os jovens como para seus professores orientadores. Constituem-se, portanto, importantes instrumentos para a melhoria da educação básica e técnica”.

A MOP 2014 é organizada pelo Catavento Cultural e Educacional e o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológicos – LSI-TEC e conta com o apoio institucional dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e das Secretarias da Cultura e Educação do Estado de São Paulo.

Sobre o LSI

O Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológicos (LSI-TEC) é uma instituição de desenvolvimento tecnológico, com linhas de ação reconhecidas nacional e internacionalmente, tornando-o um centro de referência mundial dedicado ao desenvolvimento e inovação em tecnologias avançadas.

Fundado em 1999, o laboratório é um elo entre a sociedade e as instituições científicas de excelência, promovendo a aplicação do conhecimento em tecnologia e levando inovações à sociedade por meio de parcerias com instituições dos setores público e privado.

Dirigido por professores da Universidade de São Paulo e com projetos em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da USP, o LSI-TEC conta com uma equipe altamente qualificada e multidisciplinar. Suas atividades são baseadas em três princípios: excelência, inovação e empreendedorismo.

Sobre o Catavento

Fruto de parceria entre as Secretarias Estaduais da Cultura e da Educação, o espaço foi inaugurado em março de 2009. São mais de 250 instalações em oito mil metros quadrados, divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade), cada uma delas elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes.

Atrações como aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas onde é possível ouvir histórias de personalidades como Gengis Khan, Júlio César e Gandhi, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo.

No local também é possível conferir as atrações da Fundação Museu da Tecnologia de São Paulo, que teve seu acervo transferido para o Catavento no início de 2011. Entre os principais equipamentos estão a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

 

Serviço Catavento Cultural e Educacional

Onde: Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

Telefone11 3315-0051 – atendimento das 11h às 17h

Quando: terça a domingo, das 9h às 17h (bilheteria fecha às 16h).

Quanto: R$ 6 e meia-entrada para estudantes, idosos e portadores de deficiência. Gratuito aos sábados

Como chegar: www.cataventocultural.org.br/mapas.asp

Acesso por transporte público: estação de metrô Pedro II e terminal de ônibus do Parque Dom Pedro II.

Estacionamento: R$ 10 até 4 horas (para visitantes do museu). Adicional por hora: R$ 2,00 (capacidade para 200 carros). Ônibus e vans: R$20,00.

Infraestrutura: acesso para pessoas com deficiência locomotora.

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Prorrogado prazo de inscrição para o Campus Mobile 2014

Estudantes com projetos nas Categorias Tecnologias Sociais e Empreendedorismo podem se inscrever até o dia 09/11/2014

                Alunos de graduação e ensino técnico interessados em participar do Campus Mobile ganharam mais uma chance de se inscrever para o programa. O Instituto Embratel Claro, em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) e apoio da Escola Politécnica da USP, anuncia a prorrogação das inscrições até 09/11/2014 pelo site www.institutoclaro.org.br/campusmobile.

            Os interessados devem preencher um cadastro com uma apresentação simples de seu projeto e dos realizadores. Os projetos podem ser propostos individualmente ou em grupos de até três pessoas, compostos por universitários ou estudantes de Ensino Técnico com idade igual ou superior a 18 anos, e enquadrados em uma das duas categorias disponíveis: Tecnologias Sociais e Empreendedorismo.

            Em Tecnologias Sociais, os candidatos devem propor aplicativos para dispositivos móveis, como celulares e tablets, que promovam benefícios para as áreas educacionais, ambientais, de saúde ou cidadania. Já na categoria Empreendedorismo, o desafio é o desenvolvimento de aplicativos com foco na criação de produtos ou de serviços inovadores.

Os vencedores de cada categoria participam de uma viagem de imersão na Universidade de Stanford, além de outros prêmios em dinheiro para as equipes com melhor desempenho.

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Unilever abre inscrições para o Prêmio Unilever de Sustentabilidade para Jovens Empreendedores.

Unilever

A competição premiará sete projetos que visam melhorar a qualidade de vida e tem inscrições abertas até 1º de agosto.

Para participar da competição, basta ter no máximo 30 anos de idade e apresentar uma ideia inovadora para melhorar a qualidade de vida e reduzir impactos ambientais.

O prêmio, realizado em parceria com o Instituto para a Liderança em Sustentabilidade de Cambridge (CISL) e em colaboração com a entidade Ashoka, oferece mais de € 200 mil em apoio financeiro a sete finalistas. Quem ficar em primeiro lugar também receberá o Prêmio Príncipe de Gales de Jovem Empreendedor da Sustentabilidade.

Os finalistas participarão de um programa de desenvolvimento online e de uma oficina na Universidade de Cambridge, Reino Unido, onde receberão ajuda de especialistas e orientação profissional para desenvolverem seus projetos. A competição será feita no Ashoka Changemakers.

Informações completas podem ser encontradas no site da Unilever: http://www.unilever.com.br/media-centre/pressreleases/2014/Buscamos-jovens-com-grandes-ideias.aspx/

Fonte: Meio e Mensagem

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Genius Olympiad 2014 premia projetos de estudantes brasileiros

7 projetos são premiados na competição realizada nos EUA

     A Genius Olympiad (http://www.geniusolympiad.org), organizada pela Oswego State University of New York, é uma competição internacional voltada para o meio ambiente nas áreas de Ciências, Artes, Escrita Criativa, Engenharia, Design e Desenvolvimento de Políticas para estudantes secundários.

A Genius Olympiad 2014 foi a quarta edição do evento que ocorreu dos dias 15 a 20 de junho de 2014, na cidade de Oswego nos EUA e contou com a participação de 13 projetos finalistas brasileiros credenciados pela FEBRACE, pela MOCINN, pela MOSTRATEC, pela MILSET Brasil e projetos submetidos diretamente.

Foram duas medalhas de ouro na categoria Ecologia e Biodiversidade, com projetos credenciados pela FEBRACE e pelo colégio Dante Alighieri, dos estudantes Tainá Felix, Valdeson Souza (FEBRACE) e Laura Tonidandel (Dante Alighieri).

Ainda na categoria Ecologia e Biodiversidade, a estudante Giulia Maria Ramella, também credenciada pelo colégio Dante Alighieri, levou para casa a medalha de prata com seu projeto “Busca por novos alvos terapêuticos no combate ao câncer: modulação do FASL por Prostaglandina E2 em linfócitos- FASE I”.

Além das medalhas, quatro projetos brasileiros foram premiados com menções honrosas nas categorias Ecologia Humana, Recursos e Energia e Qualidade Ambiental.

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência

Ângela Ferreira conquista Prêmio do Conselho Regional de Química: dez mil reais e um certificado de reconhecimento

           A estudante Ângela Ferreira, e sua orientadora, Joana Félix, que já participaram de feiras como a MOP (Mostra Paulista de Ciências e Engenharia), a FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia) e a Intel ISEF (International Science and Engineering Fair), foram reconhecidas com um importante prêmio nesse mês de maio.

           Com o projeto: Pele humana para transplantes e testes farmacológicos, Ângela e Joana ganharam o prêmio na modalidade “Química de Nível Médio”. A pesquisa da jovem consiste na elaboração de uma matriz pura que se comporte como a pele humana para ser utilizada em transplantes e, principalmente, em testes de cosméticos e outros fármacos, visto a problemática dos testes em animais.

          O Conselho Federal de Química foi criado em 18 de junho de 1956 para regulamentar o exercício profissional e com ele foram criados também os Conselhos Regionais de Química. Hoje, há 21 Conselhos Regionais de Química no Brasil e o da quarta região (CRQ-IV), responsável pela fiscalização no Estado de São Paulo, é o maior do país.

            Além da função legal de registrar e fiscalizar o exercício profissional, o CRQ paulista desenvolve diversas atividades destinadas principalmente a contribuir com o aprimoramento do conhecimento técnico dos profissionais. Para isso, promove palestras e cursos gratuitos sobre os mais variados segmentos da química, além de firmar parcerias que possibilitam a concessão de bolsas de estudos em cursos intensivos e até mesmo de pós-graduação.

         Entre essas ações encontra-se o prêmio do conselho regional de química, que este ano tem a sua entrega no dia 7 de junho, como parte das comemorações do conselho pelo Dia do Profissional da Química. Os autores dos melhores trabalhos em cada modalidade receberão R$10 mil e certificados.  Os orientadores dos projetos também receberão certificados além de R$4,6 mil.

Deixe um comentário

Arquivado em Feiras de Ciência